Hospital do Subúrbio promove campanha sobre prevenção de acidentes do trabalho

Home Notícias do HS Hospital do Subúrbio promove campanha sobre prevenção de acidentes do trabalho

Em comemoração a passagem do Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho, celebrado no dia 27 de julho, o Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT) do Hospital do Subúrbio, juntamente com a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), promoveu, entre os dias 26 e 30 de julho, uma campanha sobre prevenção de acidentes de trabalho.

Durante o período, a ação contou com a distribuição de folder informativo com orientações sobre o que é um acidente de trabalho, os principais tipos e causas de acidentes, assim como medidas de prevenção e o uso adequado dos EPI’s – Equipamentos de Proteção Indivdual. Além disso, foram divulgadas dicas de prevenção de acidentes em murais e displays do hospital. Colaboradores do SESMT e da CIPA visitaram também diversos setores da unidade de saúde, destacando a importância da abordagem do tema.

O Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho é símbolo da luta dos trabalhadores brasileiros por melhorias nas condições de saúde e segurança no trabalho. Foi originada no início da década de 70, a partir da iniciativa do Banco Mundial em cortar os financiamentos para o Brasil, caso o quadro de acidentes de trabalho não fosse revertido, resultando na publicação das portarias nº 3236 e 3237, em 27 de julho de 1972. Segundo estimativas da época, 1,7 milhão de acidentes ocorriam anualmente e 40% dos profissionais sofriam lesões.

“Abordamos cerca de 400 funcionários durante os dias da campanha. Esperamos que as orientações passadas tenham sido bem absorvidas e que os colaboradores as coloquem em prática, agindo de forma preventiva com sua saúde e segurança, além de contribuir para a redução do índice de acidentes de trabalho registrados no hospital”, afirma a engenheira de segurança e presidente da CIPA, Ayla Monteiro. E ela lembra uma máxima: “Quem deixa a segurança por último, nem sempre fica para contar a história.”