HS atende mais de 80 mil pessoas em nove meses de funcionamento

Home Notícias do HS HS atende mais de 80 mil pessoas em nove meses de funcionamento

HS foi avaliado por comissão da Sesab

Mais de 80 mil pessoas já foram atendidas pelo Hospital do Subúrbio (HS), desde o início de sua operação em setembro do ano passado. Com isso, foram mais de 234 mil procedimentos de urgência, emergência e de ambulatório de egressos realizados na população assistida, uma média de três procedimentos por pessoa. Os dados fazem parte do levantamento trimestral feito pela unidade hospitalar e compartilhado com a Comissão de Acompanhamento e Gestão do Contrato de Concessão Administrativa do HS, grupo vinculado à Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab).
Pela terceira vez desde o começo de suas atividades, o HS teve os seus indicadores quantitativos e qualitativos avaliados pela comissão, em reunião de apresentação dos dados pelo corpo diretor do hospital, no dia 30 de junho, nas instalações do próprio hospital. A unidade permanece com uma análise positiva de seus resultados, referentes à produção e qualidade dos serviços prestados aos usuários.
Os números condizem com a agilidade e eficiência do trabalho realizado pelo hospital. Nos últimos três meses, período em que o HS funcionou com sua capacidade operacional plena, os atendimentos ultrapassaram os 32 mil. De exames diagnósticos e terapêuticos, foram 161.119, prevalecendo aqueles de laboratório e de radiologia. Se considerado o número total, de nove meses de atividades, a quantidade mais do que dobra: foram 356.760 exames feitos pelo seu Serviço de Apoio Diagnóstico e Terapêutico (SADT).
Por dia, cerca de 312 pacientes encontram-se internados na unidade hospitalar, o que demonstra a alta taxa de ocupação de seus leitos. Para manter a qualidade da assistência aos pacientes, a equipe do HS se ocupa diariamente e permanentemente da gestão do cuidado desses usuários. No último trimestre, aproximadamente 366 pacientes foram atendidos por dia, na Emergência. “Esse quadro representou a necessidade de instituir, no próprio ambiente da Emergência, médicos diaristas para mantermos os pacientes assistidos, com evolução e prescrição médica diárias, além de reforçar o corpo de enfermagem”, explicou a diretora médica do hospital, Lícia Cavalcanti.
Até meados de junho, 6.741 pessoas foram internadas, destas 2.928 durante o terceiro trimestre de funcionamento. A média de permanência de cada paciente é de 4,45 dias.

Indicadores qualitativos

Além dos indicadores quantitativos, também os qualitativos foram analisados pela equipe do HS e da comissão da Sesab. No último trimestre, a taxa de atendimento de usuários em regime de não-urgência e emergência foi de 10,2%, apenas 0,2% acima do esperado. “Esta situação demonstra que a população não tem encontrado uma Rede Básica de serviços capaz de atender com resolubilidade as suas necessidades, buscando, por consequência, o hospital”, esclareceu a diretora médica.
Ao praticar o acolhimento com classificação de risco (ACCR), o HS atende os mais variados casos de pacientes, incluindo aqueles que não se encontram dentro do perfil da unidade, de urgência e emergência. “O hospital entende que, nessas situações, deve-se priorizar as necessidades do usuário e pensar, portanto, além da meta”, pontuou Lícia Cavalcanti.
Outros indicadores de qualidade também foram analisados positivamente, como a satisfação do usuário que oscilou de 94,79% em seu menor índice (relativo ao serviço da Recepção), a 97,64%, referente aos itens de hotelaria, o que demonstra o cuidado e a eficiência do hospital na prestação de serviços à comunidade.