Humanização é tema de treinamento no Hospital do Subúrbio

Home Notícias do HS Humanização é tema de treinamento no Hospital do Subúrbio

A importância do tratamento respeitoso e cordial conferido a pacientes, acompanhantes e visitantes por profissionais do Hospital do Subúrbio (HS) tem ganhado destaque por parte do Grupo de Trabalho de Humanização (GTH) do hospital. Desde o mês de fevereiro, treinamentos em grupo têm sido realizados com colaboradores que desempenham os mais variados serviços na unidade.

Profissionais do Serviço de Higienização participaram de dinâmica de grupo

Por enquanto, são os profissionais da linha de frente – que mantêm os primeiros contatos com os usuários – que estão conhecendo o diferencial de agir de forma humanizada no ambiente de trabalho e os efeitos benéficos que suas atitudes podem provocar. Turmas compostas por profissionais da Recepção e Enfermagem já passaram pelo treinamento que segue até o dia 26 de maio com grupos do Serviço de Higienização e Limpeza. Os próximos encontros serão nos dias 12, 17 e 26 deste mês de maio. Depois, o programa de conscientização chegará ao setor de Segurança.
“O treinamento sobre humanização visa sensibilizar os profissionais para que tratem o outro de forma digna e com respeito. As atividades contribuem para reforçar os laços entre os participantes e estimulam a troca de experiências”, explica a coordenadora de Serviço Social do HS, Aline Grimaldi. A cada encontro, um profissional do Grupo de Humanização comanda os trabalhos que incluem dinâmicas de grupo e orientações aos integrantes das turmas. No dia 12, quem ministra o treinamento é a coordenadora de Enfermagem da Unidade de Internação Pediátrica, Érika Pereira. Nos dias 17 e 26, as facilitadoras serão Aline Grimaldi e a coordenadora de Enfermagem da Unidade de Terapia Semi-Intensiva, Camilla Cumming, respectivamente.
Dar atenção a quem pede uma informação ou faz um questionamento é atitude que não pode faltar a profissionais que atuam no atendimento diário a cidadãos, principalmente quando se trata de um público diferenciado como aquele de um hospital. “Nosso instrumento fundamental de trabalho é a escuta. Pessoas chegam ao hospital doentes, carregando dor e sofrimento. Se não soubermos escutá-las não poderemos ajudá-las da forma que precisam”, observa a coordenadora Aline Grimaldi, que durante os treinamentos se depara com os mais variados depoimentos de profissionais do HS satisfeitos em saber que, ao tratar bem o outro, estão sendo mais humanos.
O primeiro treinamento sobre humanização teve início no dia 17 de fevereiro deste ano. Desde então, o GTH vem trabalhando ativamente para orientar toda a equipe do HS sobre a importância de se estabelecer vínculos solidários e de desenvolver um olhar apurado e sensível às necessidades de pacientes, acompanhantes e visitantes.